Estes livros e brochuras pertenceram a Manuel Sertório, um dos fundadores dos Estudos sobre o Comunismo.

AMÉRICA LATINA

PARTIDO COMUNISTA DO URUGUAI

27-Jun-09 Fotog (5)

PARTIDO COMUNISTA DA VENEZUELA

27-Jun-09 Fotog (4)

CUBA

Estes livros, brochuras e revistas pertenceram a Manuel Sertório.

27-Jun-09 Fotografia (17)27-Jun-09 Fotografia (16)

27-Jun-09 Fotografia (15)27-Jun-09 Fotografia (14)

27-Jun-09 Fotografia (13)27-Jun-09 Fotografia (12)

27-Jun-09 Fotografia (11)

Livros e brochuras.

27-Jun-09 Fotografia (18)27-Jun-09 Fotografia (19)

27-Jun-09 Fotografia (20)

Pensamiento Critico, 16, 20 (1968); 36 (1970).

ESPANHA

27-Jun-09 Fotog (9)27-Jun-09 Fotog (10) 27-Jun-09 Fotog (11)

JUGOSLÁVIA

27-Jun-09 Fotog

27-Jun-09 Fotog (3) 27-Jun-09 Fotog (2)

URSS

Estes livros, brochuras e revistas pertenceram a Manuel Sertório, encontrando-se alguns anotados.

27-Jun-09 Fotografia (3) 27-Jun-09 Fotografia (2)

27-Jun-09 Fotografia (4) 27-Jun-09 Fotografia

27-Jun-09 Fotografia (7)

OS NOVOS ESTUDOS SOBRE O COMUNISMO

A partir de hoje, os novos ESTUDOS SOBRE O COMUNISMO, dão continuidade a um projecto de trabalho com mais de vinte anos, e que teve origem numa revista pioneira destes estudos, passando a ter agora como sua casa a plataforma WordPress. Do ponto de vista editorial, a orientação continua a mesma da "velha" revista, cujo texto inicial acima se publica, como homenagem a dois dos companheiros do princípio que já morreram, Manuel Sertório e Jose Alexandre Magro ("Ramiro da Costa").

Todos os materiais dos antigos ESTUDOS SOBRE O COMUNISMO (versão antiga), assim como os que reuni em ÁLVARO CUNHAL – BIOGRAFIA POLÍTICA , encontram-se aqui reunidos, dada a natureza próxima do seu conteúdo. Nesta nova plataforma algumas funcionalidades foram utilizadas para organizar melhor o material disponível, incluindo a possibilidade de colocar no cabeçalho as bibliografias que se encontram em actualização. Alguns problemas, como sejam as discrepâncias dos caracteres que se verificam nas notas e o arranjo gráfico ainda rudimentar, serão corrigidos à medida do meu tempo e saber. As notas bibliográficas sofreram com a interrupção destes meses e precisam de ser actualizadas. Tudo está ainda numa forma experimental.

Os ESTUDOS SOBRE O COMUNISMO são desde já o mais completo repositório de informação sobre a história do comunismo, dos movimentos radicais e da história da oposição portuguesa na Rede, mas este trabalho é em grande medida solitário, e por isso sujeito às flutuações de tempo do seu autor. Renovo aqui o apelo a todos os que se interessam por estes assuntos para também utilizarem este sítio como instrumento de trabalho de investigação e divulgação dos seus resultados.

EDITORIAL

ESTUDOS
O PCP na I República: Membros e Direcção, por José Pacheco Pereira

FONTES E DOCUMENTOS

Documentos sobre uma tentativa de contacto entre o Bureau Político do PCP
(Júlio Fogaça) e a IC em 1941 – Introdução e notas de António Ventura

Carta a José Rodrigues Miguéis (15.7.1941)

Carta ao CE da Internacional Comunista (15.7.1941)

PCP / FPLN – Prólogo de um conflito – Introdução a notas de Manuel Sertório

Carta ao PCP

Carta do PCP

Memorandum do PCP

TESTEMUNHOS

Testemunho sobre a Rádio Portugal Livre, por Rui Perdigão

HISTÓRIA ORAL

Entrevista com Artur dos Santos Tavares

BIBLIOGRAFIAS

Bibliografia sistemática sobre o PCP (2ª parte) secções 7 – 8 pelo Conselho de
Redacção

RECENSÕES

Danielle Tartakowsky, Une Histoire du PCF, por J. P. P.

Jeannine Verdés – Leroux, Aux service du parti. Le parti communiste,
les intellectuels et la culture (1944 – 1956)
, por J. L. C.

Ronald H. Chilcote, The Brazilian Communist Party: Conflict and Integration 1922
– 72
, por J. L. C:

Jorge Fernandes Alves , O Barroso e a Guerra Civil de Espanha, por J. L. C.

Iuri Andrópov, Discursos e Artigos, por ª M.

Ernst Busch, Cancionero de las Brigadas Internacionales e Cançoner Revolucionari
Internacional
, por J. L. C.

Jessica Mitford, A Fine Old Conflict, por J. P. P:

Luís Francisco Rebelo, Portugal Anos 40, Espéctaculo / Documentério em 10
Sequências,
, por F. R.

Evelyne Pisier – Koucher, (sob a direcção de), Les Interprétations du Stalinisme, por
J. L. C.

Publicações sobre cinema militante, por J. L. C.

PROJECTOS DE INVESTIGAÇÃO

REVISTA DAS REVISTAS

REVISTA DE LIVROS

DIVERSOS

O centenário da morte de K. Marx em Portugal

Colóquio sobre o PCF

VIDA DO BOLETIM

Referências ao nº 0 de Estudos sobre o Comunismo

Os próximos números

Novas Secções

CRÓNICA DA VIDA COMUNISTA

INDICE dos Estudos sobre o Comunismo . 2 , I-IV 1984

Estudos sobre o Comunismo 2 , I-IV 1984

Editorial – Esclarecendo

Estudos

Em tomo do 18 de Janeiro por Manuel Sertório
I – Explicação prévia.
II – A situação intemacional europeia nos anos de 1929 a 1934
III – A politica da URSS e a 3.ª Intemacional
IV – A fascização do Estado português
V – A situacão sindical, partidária a ideológica da classe operária portuguesa
no período em causa e a criação da frente única
VI-O “reviraIho” e o “18 de Janeiro”.
VII – A jornada do “18 de Janeiro”
VIII – Porquê a Marinha Grande ?
IX – Os objectivos da jomada
X- Os baIanços do “18 de Janeiro”
XI – Algumas conclusões
Bibliografia

Dossier

Acta da Conferéncia do PCP de Abril de 1929 – lntroduçâo e notas de José Pacheco Pereira

Acta da conferência

A actividade sindical do `POP no Porto, Beja e Faro em 1931 (Textos de -.”0 Trabalho Sindical”) – lntrodução e notas de Maria Goretti Matias

Resolução da COMSIND sobre a actividade sindical do Partido no Porto

Actividade Sindical do partido em Beja (Resolução da COMSIND )

ResoIução da COMSIND sobre a actividade sindical do partido em Faro

As primeiras liçôes da jornada de 18 de Janeiro – Introdução e notas de António Ventura

Das ilusões anarquistas e reviralhistas no seio dos trabalhadores a frente única
independente da classe contra classe (As primeiras lições da jornada do 18 de Janeiro) – Secretariado do Partido Comunista (Secção Portuguesa da Internacional Comunista).

O 18 de Janeiro de 1934 (excerto de uma entrevista com Júlio Fogaça) – Entrevista, introdução e notas de António Ventura

O 18 de Janeiro de 1934 no Barreiro – Entrevista com Francisco Augusto Ferreira (“Chico da Cuf”) – Entrevista, introdução e notas de António Moreira

Obituário

Manuel Guedes – por J. Lopes Cordeiro

Maria Lamas – por Fernando Rosas

José Carlos Ary dos Santos – por J. Pacheco Pereira

llidio Machado – por J. Pacheco Pereira

Peng Shuzhi – por Francisco Louça

José Bergamin – por J. Lopes Cordeiro

Gustavo Machado – por J. Pacheco Pereira

Evgeny Gnedin – por J. Pacheco Pereira

Valentin Gonzalez (“El Campesino”) – por J. Lopes Cordeiro

Yusuf Mohamed Dadoo – por J. Pacheco Pereira

Konstantin lvánovitch Zarodov – por J. Pacheco Pereira

Crónica da vida comunista

Comité Marxista-Leninista Mao Tse Tung

Partido Comunista Português

Assembleias de Organização

Resultados eleitorais de listas da APU

O X Congresso do PCP – Documentos do X Congresso (Extractos)

Partido Comunista (Reconstruído).

Anexo: Extractos do Bandeira Vermelha

Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses / Movimento Reorganizativo do Partido do Proletariado

Partido Operário de Unidade Socialista

Partido Socialista Revolucionário

Revista Versus

Anexo: Contas da campanha eleitoral de Abril de 1983

Vida do Boletim
Referências ao n.°1
Errata
Os próximos números

EDITORIAL DA REVISTA ESTUDOS SOBRE O COMUNISMO , Julho 1983

O estudo do comunismo e dos movimentos e partidos que dele se reclamam, tem conhecido nos últimos anos um progresso cada vez maior.
Esse progresso deve-se, no fundamental, a uma mudança de atitude consubstanciada, por um lado, pelo reconhecimento da importância de que o fenómeno comunista se reveste para a compreensão da história e da política do século XX, por outro, pelo progressivo esbatimento das atitudes de recusa ou apologética que impregnaram muitos dos estudos sobre o comunismo.
Este progresso tem ocorrido essencialmente fora de Portugal onde estudos deste tipo ainda constituem excepção. Por razões óbvias, o comunismo era impossível de estudar antes do 25 de Abril de 1974 e, por razões já menos esclarecidas, continua em grande parte por o ser depois de 1974. Mas, o interesse histórico, político e sociológico sobre o século XX português, tem vindo a alargar a curiosidade do público em geral sobre temas cujo completo conhecimento exige avanços no trabalho de investigação científica do comunismo.
Em Portugal, neste domínio, está praticamente tudo por fazer. As bibliotecas públicas não possuem a imprensa comunista, a maioria dos documentos não se encontra acessível ou permanece ignorada, não existem estudos de conjunto, nem bibliografias, nem corpos documentais. Os principais arquivos (os da PIDE – DGS e das outras organizações repressivas, os de Salazar e Marcelo Caetano, o do PCP, muitos arquivos pessoais) não estão abertos ou são de difícil acesso ao público e aos investigadores.
A publicação de revistas de estudos sobre o comunismo, em particular a recente revista francesa Communisme , constituiu para nós um incentivo para lançarmos, com as adaptações e, principalmente, as limitações correspondentes às nossas possibilidades, um boletim destinado a estudar a experiência do comunismo português numa perspectiva ampla, interdisciplinar e comparativa. A análise histórica e sociológica, o estudo das mentalidades e do comportamento eleitoral, a ciência política e análise semântica e lexical do discurso comunista, todas as aproximações são bem-vindas.
Neste boletim tentaremos também estudar essa experiência no sentido mais lato possível, privilegiando os estudos sobre a mais importante organização comunista portuguesa, o PCP, mas alargando o âmbito dos trabalhos a outras organizações, movimentos e personalidades que se reclamaram do comunismo a Federação Maximalista, os trotskistas portugueses, os grupos e partidos maoístas surgidos a partir da década de 60, revistas como O Diabo e Sol Nascente, personalidades como Bento de Jesus Caraça e outros.
Serão igualmente tratados todos os temas que sendo mais da história operária ou do estudo das ideologias, permitem perspectivar a experiência comunista e enquadrá-la na vida portuguesa do século XX, incluindo aqui o estudo das lutas operárias no período posterior à Revolução Russa, e, em particular depois de 1934, a actividade das organizações da oposição como o MUNAF, o MUD e a FPLN, as campanhas eleitorais, assim como o estudo da actividade sindical, do discurso governamental sobre o comunismo e das instituições repressivas e policiais.
Pareceu-nos igualmente que seria artificial limitar os trabalhos apenas à parte histórica e não aproveitar a possibilidade de publicar estudos abrangendo o período posterior ao 25 de Abril de 1974. Por difíceis que sejam estes estudos, é possível desde já avançar em tudo que a distanciação temporal permita, em particular, através de um tratamento cronológico, bibliográfico e documental da actividade presente das organizações comunistas.
No seu conjunto, tentaremos fornecer um trabalho compreensivo, que permita conhecer melhor o fenómeno comunista, para o qual serão bem-vindas todas as colaborações e sugestões que nos ajudem a tornar este boletim um instrumento aberto de trabalho científico.

José Pacheco Pereira
Ramiro da Costa
Maria Goretti Matias
António Moreira
Rogério Rodrigues
Fernando Rosas
Manuel Sertório