O  dr. Joaquim Manuel Barros de Sousa teve a gentileza de oferecer para o meu arquivo todo um conjunto de documentos, incluindo manuscritos, panfletos, materiais gráficos, assim como periódicos e livros, que cobrem vários aspectos da sua actividade como oposicionista de antes do 25 de Abril e da sua vida pública na democracia  (como governante, deputado, autarca, dirigente associativo, autor, etc.). ligada a áreas da política, do jornalismo, educação, desporto, e à sua terra, a Figueira da Foz. Desse conjunto se fará aqui um inventário e se dará notícia e publicação dos documentos com mais interesse para a nossa história contemporânea, em particular da oposição democrática anterior ao 25 de Abril. Juntamente com o inventário se publicará  uma sua biografia mais detalhada.

*

Junto se publicam alguns dos materiais gráficos existentes num extenso dossier sobre o III Congresso da Oposição Democrática, ocorrido em Aveiro entre 4 e 8 de Abril de 1973. Nesse dossier encontra-se documentação inédita sobre o Congresso, originais de intervenções, documentos do núcleo da Figueira da Foz e materiais sobre a repressão da PIDE-DGS. Os materiais gráficos aqui reproduzidos tinham como objectivo essencial a recolha de fundos pela sua venda. Trata-se de postais e de percursores dos autocolantes. No caso destes últimos, a sua função era muito restrita, porque seria impossível o seu uso no vestuário numa altura em que era proibido a manifestação pública de preferências políticas, muito menos da oposição.

Anúncios

fonte: IISH

Boykot apartheid, poster Anti-Apartheids Beweging Nederland 1981On 28 March 2008, the historic collections of the Netherlands institute for Southern Africa (NiZA) were handed over to the International Institute of Social History (IISH) in Amsterdam.

In order to guarantee the continuity and management of the collections, and thus to create opportunities for their future study and consultation, NiZA and IISH have jointly decided to house the collection at the IISH

The collections are made up of a large number of books, journals, documentation, archives, photographs, posters and several hundred videos, cassettes, badges, flags, T-shirts and other memorabilia. They have been built up since the 1970s by a number of former Dutch anti-apartheid and solidarity groups, which later merged with NiZA.

The collected archives consist of documents from organizations such as the South Africa Committee (from the 1960s), the Dutch Anti-Apartheid Movement, the Angola Committee/Southern Africa Committee, the Eduardo Mondlane Foundation, Institute for Southern Africa and Broadcasting Company for Radio Freedom. They also include material from and about well-known activists, such as Sietse Bosgra, Conny Braam, Peter Waterman and Klaas de Jonge, and the archives of a number of local southern African groups. Together with all of the archives of anti-apartheid groups, such as the working group Kairos and SANAM Association, and those of private individuals like writer and journalist Martin Bailey, which are already housed at the IISH, this handover will create an unprecedentedly rich collection. This will not only include material on the Dutch movement, but also the European and South African ones.

Continue a ler

fonte: http://www.uc.pt/tomenota/20080326_1

Flausino Torres

O arquivo pessoal do professor, jornalista, historiador e militante contra o Estado Novo Flausino Torres vai passar a integrar o espólio do Centro de Documentação 25 de Abril da Universidade de Coimbra.

No dia 27 de Março, em cerimónia que decorrerá pelas 12H00, na Reitoria da Universidade de Coimbra, o historiador e arqueólogo Cláudio Torres, filho de Flausino, e outros membros da família Torres, entregarão ao director do Centro de Documentação 25 de Abril, Boaventura de Sousa Santos, mais este importante arquivo, que integra documentos fundamentais para o estudo da história política do século XX, com especial destaque para história das elites políticas portuguesas das décadas de 30 a 60.

Os documentos que agora serão entregues à Universidade de Coimbra foram cuidadosamente analisados e arrumados por Paulo Torres Bento, neto de Flausino Torres e também ele historiador. O arquivo é constituído por cinco caixas, contendo documentos políticos e correspondência, organizados por épocas, originais de muitos dos livros que publicou e um CD-Rom com fotografias digitalizadas, agrupadas também por épocas.

Os arquivos do PC dos EUA foram doados à New York University (agradeço as notas enviadas por Eduardo Cintra Torres e Jorge Lobo Mesquita sobre o assunto). Reproduzo a seguir a notícia do New York Times de 20 de Março de 2007 sobre essa doação. de autoria de Patricia Cohen:

The songwriter, labor organizer and folk hero Joe Hill has been the subject of poems, songs, an opera, books and movies. His will, written in verse the night before a Utah firing squad executed him in 1915 and later put to music, became part of the labor movement’s soundtrack. Now the original copy of that penciled will is among the unexpected historical gems unearthed from a vast collection of papers and photographs never before seen publicly that the Communist Party USA has donated to New York University. (…)

Continue a ler

Nos últimos dois meses foi acrescentada ao Marxist Internet Archive / Arquivo Marxista na Internet uma série de textos de Staline, Mao Zedong e de comunistas brasileiros. Os textos estão em português do Brasil. Entre os textos disponíveis encontra-se o relatório de Luiz Carlos Prestes, A Situação Política e a Luta por um Governo Nacionalista e Democrático de Janeiro de 1959 e documentos das experiências de guerrilha maoista do Araguaia.

 

Lista dos novos textos em linha: Continue a ler

Está disponível o inventário do espólio de Manuel Sertório oferecido pela família ao Centro de Documentação 25 de Abril da Universidade de Coimbra. Manuel Sertório  foi um dos fundadores da revista Estudos sobre o Comunismo.

Na nota introdutória refere-se que: 

"A documentação foi oferecida por Elsa Sertório, filha de Manuel Sertório e deu entrada no Centro de Documentação 25 de Abril em 29 de Outubro de 1997. Evidenciava um cuidadoso trabalho de sistematização efectuado antes da doação. O estado de conservação dos documentos à chegada, considera-se bom.No respeito pelos critérios de arrumação originais procedeu-se à substituição completa das ferragens dos "dossiers", como medida de precaução contra o perigo de oxidação que, aliás, alguns deles já indiciavam, bem como ao restauro dos documentos mais deteriorados.A documentação entregue abarca, predominantemente, as décadas de 50 a 80 do século XX.

A parte mais representativa do espólio reflecte as actividades de Manuel Sertório enquanto activista da Oposição Política, primeiramente no exílio do Brasil e, depois, como militante da FPLN na Argélia. Na mesma data da doação foi entregue pelos doadores, no Centro de Documentação 25 de Abril, uma lista de documentação disponível na residência da viúva de Manuel Sertório, em Lisboa, e que diz respeito a manuscritos e recortes de imprensa de publicações de, ou sobre Manuel Sertório."