II VOLUME – LOCAIS ONDE ESTEVE ESCONDIDO CUNHAL NOS ANOS QUARENTA

Cunhal viveu algum tempo em Vila do Conde, antes da prisão no Luso, em casa de António Simões, alfaiate e militante do PCP, de quem fui amigo, e que esteve preso com o Agostinho Neto (processo dos 58). Nesta casa chegaram também a estar partes de uma tipografia do Avante. O pitoresco da história é o seguinte:

Ao lado da casa do Simões havia um colégio religioso para raparigas, dirigido pela madre Botelho. Na esquina deste colégio, ou na da própria casa onde vivia o Simões, já não me lembro, havia umas «alminhas». A madre Botelho via o Cunhal sair de casa, o «primo» do Simões, com quem tinha trato cordial e que sabia herege, e via-o tirar o chapéu, inclinar-se perante as «alminhas» e benzer-se. E comentava para o Simões: «Ah, sr. Simões, que pena o senhor não ser como o seu primo, tão religioso!».

António Simões emigrou para o Canadá, onde já tinha um filho, nos anos 60, acossado pela polícia. Levou a mulher e mais dois filhos, e lá morreu depois do 25 de Abril. Está sepultado em Vila do Conde.

(João Paulo de Oliveira)

Advertisements