A exposição, realizada o ano passado no Barreiro, por ocasião do 60º Aniversário da Greve de 1943 vai estar patente no Museu da República e Resistência em Lisboa a partir do próximo dia 1 de Julho.
Haverá uma conferência «As Greves do Barreiro» por Fernando Rosas, no dia 13 de Julho, às 18,30 horas, na Biblioteca–Museu República e Resistência – Espaço Cidade Universitária

Anúncios

Um pensamento sobre “

  1. Relativamente à exposição em apreço e para a qual tive a honra de ser convidada, não tenho boas noticias.
    1-Uma exposição organizada em conjunto pela CMLisboa e CMBarreiro mas que na abertura inaugural ninguém se fez representar;
    2-A exposição tem algumas dificuldades no sentido da apresentação – não acredito que não tivessem um especialista na matéria ou alguém com bom gosto para organizar “espacialmente” a exposição.
    3-As legendas dos painéis, designadamente as que se referem às fotografias,não se veem por estarem a um nível muito baixo e os visitantes precisarem de andar quase de cócoras (que foi o caso!)
    4-A luz muito difusa e mal orientada em alguns casos
    5-Os ecrans onde passa um filme, feito por altura da exposição feita no Barreiro em 2003, é apresentado sem qualidade de som. Não se pode apreciar a qualidade que tem, porque não se ouve nada, ainda que estejamos em cima dos monitores (a quantidade de monitores é suficiente o som é que não);
    6-Continuam a apregoar a fotografia de capa do folheto de apresentação como sendo no Barreiro, quando já todos sabemos que não é.
    Mas quando é que este País distingue as suas gentes com trabalho de “profissionais” e deixamos os “amadorismos” ?
    Assim, espero que o Prof Fernando Rosas no proximo dia 13, possa fazer jus ao espaço e à temática, até pelo respeito que deve ser demonstrado aos convidados e interessados na matéria.
    Salva a “honra” do convento o pequeno beberete servido com simpatia e bom gosto.
    Bem Hajam pelo espaço reservado a esta critica.
    Ni Rocha

Os comentários estão fechados.