Morreu Maria Ângela Vidal, militante comunista, “companheira” na clandestinidade, com uma longa e atribulada história de compromisso político, com as habituais consequências em termos de prisão. Uma notícia biográfica é publicada no Público de 15/3/2004.

Anúncios