FUNDAÇÃO ÁLVARO GUERRA

Segundo notícia publicada pelo Público de 20 de Outubro de 2003, vai ser constituída em Vila Franca de Xira uma Fundação Álvaro Guerra:

Álvaro Manuel Soares Guerra ficou sobretudo conhecido pelas suas actividades como escritor, diplomata e jornalista, mas desenvolveu também um percurso político importante. Pouco tempo depois de ter regressado a Vila Franca, após uma intensa carreira diplomática, Álvaro Guerra faleceu a 21 de Abril do ano passado, vítima de problemas cardíacos.
Como escritor ficou sobretudo conhecido pela publicação da chamada “trilogia dos cafés” – Central, República e 25 de Abril – onde, a partir de conversas desenvolvidas no mais “castiço” café de Vila Franca, relatou fases marcantes da história de Portugal vividas numa vila ribatejana. Antes revelara já a sua forte oposição ao antigo regime e exilou-se em França, depois de sofrer algumas perseguições de agentes da PIDE. Frequentou, então, a École des Hautes Études da Sorbonne, onde enriqueceu a sua experiência cultural. Regressado a Portugal prosseguiu as suas actividades literária e jornalística, colaborando no “República”, jornal opositor do regime, envolvendo-se na fundação do vespertino “A Luta”.
Após o 25 de Abril de 1974 desempenhou funções de director de informação da RTP e foi assessor do Presidente da República Ramalho Eanes. Iniciou, depois, uma carreira diplomática que o levou à antiga Jugoslávia de 1977 a 1984. Na qualidade de embaixador passou, também, por locais como Nova Deli, Kinshasa e Estocolmo.

Anúncios

Um pensamento sobre “FUNDAÇÃO ÁLVARO GUERRA

  1. Fui a primeira mulher dele. Gostaria de saber, se souber também, a quem pertence essa Fundação, quem a dirige, quem a subsidia, etc.
    Muito obrigada.
    Ana Rabaça

Os comentários estão fechados.