Arquivo de Lino Paulo doado ao Arquivo Municipal de Sintra

Segundo o Sintra Digital de 16-06-2003 :

“O arquivo particular de Lino Paulo foi doado ao Arquivo Municipal de Sintra. De todo o acervo reunido em toda uma vida política, que vai desde a resistência ao fascismo até aos dias de hoje, o ex-vereador da CDU, Lino Paulo, destacou, em declarações ao Sintra Digital, um documento, datado de 1922, das Juventudes Comunistas e «todos os documentos que retratam a luta contra a especulação imobiliária» bem como os que dão conta da criação do movimento sindical em Portugal. «Quem quiser fazer um estudo sobre a história contemporânea de Sintra e mais especificamente sobre o poder local não poderá deixar de ir ao arquivo», sublinha Lino Paulo.

O ex-vereador Lino Paulo, que desde o 25 de Abril até ás últimas eleições autárquicas foi candidato pela CDU à presidência da Câmara Municipal de Sintra, doou todo o seu espólio ao Arquivo Municipal de Sintra. Dessa forma, fica, a partir de agora, disponível para estudantes e investigadores, um extenso acervo documental que ficará distribuído por oito secções base: estruturas políticas e partidárias, documentação oficial e informação noticiosa, actividade autárquica, cartazes e prospectos, material de propaganda especial, Veredas – Cooperativa Cultural de Sintra CRL, documentação monográfica, jornais e revistas.
Questionado sobre que documentos mais destacaria deste arquivo, que tem vindo a ser tratado por técnicos da Câmara aos níveis de preservação e arquivo, Lino Paulo refere um prospecto «para os que gostam de antiguidades» das Juventudes Comunistas, datado de 1922. Mas refere essencialmente «os documentos que falam da luta travada ao longo dos anos contra a especulação imobiliária, documentos relacionados com o aparecimento do movimento sindical ligado à igreja, ao PCP, PS e aos partidos esquerdistas».

O actual líder de bancada da CDU na Assembleia Municipal refere que foi juntando todos estes documentos «porque pensava que ia seguir uma vida académica» e tencionava produzir um trabalho de investigação histórica sobre o 25 de Abril, o fascismo e o Poder Local, numa altura em que era professor no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, onde leccionava Metodologia das Ciências Sociais. No entanto, a vida política trocou as voltas ao destino do autarca que se deu conta que já não ia realizar o trabalho e que «este material podia interessar a outras pessoas». E foi assim que com João Rodil e Rogério Monteoito, do Arquivo Municipal, Lino Paulo se decidiu a doar o seu arquivo particular.

A cerimónia oficial de doação do arquivo realizou-se no sábado na presença de António Ventura, professor catedrático da Faculdade de Letras de Lisboa e de José Casanova, membro da Comissão Política do PCP e director do jornal “Avante!”.

Anúncios