TESTEMUNHO

De Paulo Varela Gomes no Cristóvão-de-Moura sobre sua mãe Maria Eugénia:

Numa qualquer manifestação do final dos anos de 1960, a minha mãe acompanhou-nos vestida (como sempre) com um comprido casaco de gola alta na qual recolhia os cabelos. Descia ela a rua com as minhas irmãs abraçadas, ainda pequenas, uma de cada lado. Quando a polícia de choque carregou, ela susteve o ímpeto de fuga das minhas irmãs que queriam seguir a pequena multidão em correria desenfreada rua abaixo. Disse-lhes: “Meninas, não se foge à polícia…”. As minhas irmãs lembram-se que se curvava quando os cassetetes dos polícias a atingiam na cabeça, mas que nunca apressou o passo. Chegou a casa, tirou o casacão comprido. Tinha a cabeça em sangue, o cabelo e as costas empapados. Levou três pontos.

Advertisements