(Terrugem – Sintra , 1908-2003)


Inácio Ministro , estofador de automóveis , entrou para o PCP na década de quarenta . Sofreu oito prisões por pequenos períodos de tempo , por incidentes com “vanguardistas” , pela sua militância no SVI , participação na greve da Ford no Natal de 1942 , etc. Foi igualmente preso em 2 de Dezembro de 1944 na vaga de prisões de que resultou a morte de Ferreira Marquês na PIDE , Trabalhou no partido com José Gregório / “Alberto” , Manuel Guedes / “Santos” , Soeiro Pereira Gomes /”Vaz” e principalmente com Manuel Rodrigues da Silva / “Almeida” que foi seu controleiro durante mais tempo .
Participando em tarefas de apoio à direcção do partido , comprou um carro em nome de Amílcar Augusto Gil , um Opel Olympia , que pertencia ao partido . Teria sido este o primeiro carro que o PCP adquiriu . Realizou vários transportes de clandestinos , incluindo militantes espanhóis em trânsito por Portugal .
Por volta de 1947 , ou príncipios de 1948 , participou numa tentativa de fuga de António Guerra , um militante do 18 de Janeiro de 1934 , organizada por Piteira Santos . Guerra , no entanto , no último momento , recusou-se a fugir e os pormenores dessa tentativa permanecem obscuros . Guerra morreria um ano depois .
Após uma prisão resultante da denúncia de um transporte clandestino , Inácio Ministro emigra para o México e posteriormente para Angola (1954) e Leopoldville no Congo Belga (1955-6) . No Congo contacta com Sidónio Muralha e Aníbal Bizarro , que para aí tinham emigrado .
Após o seu regresso a Portugal manteve a militância no PCP na sua área de residência .

Fontes :

Depoimento feito ao autor em Novembro 1999 na sua casa de Sintra

Necrologia em Avante ! , 10-4-2003

Anúncios